Assassin’s Creed – Review honesto do filme sem spoiler

Ontem à noite fomos convidados a assistir a pré-estreia de Assassin’s Creed nos cinemas com altas expectativas a respeito do filme.

Nossas expectativas estavam bem altas devido ao trailer do filme, que é muito bem feito e por sermos fãs da franquia desde o primeiro game lançado em 2007 para os consoles da geração passada.

Um ponto positivo do filme é que ele usa elementos essenciais da história dos primeiros jogos da série e traz a mitologia da saga com eterna luta entre os Assassinos e os Templários explicando bem o motivo principal deste conflito secular.

Um dos principais pontos do enredo do game é uma máquina chamada Animus, capaz de resgatar a memória dos antepassados da pessoa com a qual está conectada e é através das memórias do personagem principal que os Templários, por trás da empresa Abstergo que serve como fachada, tentam buscar o paradeiro de um objeto muito poderoso.

Um dos principais problemas que os gamers que jogaram qualquer jogo da franquia Assassin’s Creed vão perceber é justamente a Animus, que no filme se trata de uma geringonça completamente diferente do que vemos nos jogos.

Não dá pra saber ao certo o porque deles terem mudado a Animus  para essa coisa tão estranha que vemos no filme. Nos jogos, o personagem se conecta à maquina de maneira mais sutil, algo semelhante ao que vemos em Matrix, mas no filme Assassin’s Creed, é uma coisa completamente diferente. Provavelmente eles fizeram essa mudança para explicar porque o personagem da atualidade fica tão forte quanto o seu antepassado das lembranças que eles estão vasculhando, mas isso não é suficiente pra justificar tamanha bizarrice.

Outra coisa que decepciona bastante é que o filme tem pouquíssimas cenas do passado, a maior parte dele se passa dentro das instalações da Animus. Isso até que é bom por um lado, já que em nenhum jogo vemos essas instalações com tantos detalhes.

Um ponto positivo do filme está na atuação do protagonista, o ator Michael Fassbender trabalhou muito bem. As cenas de batalhas lembram muito os movimentos básicos de luta que vemos nos games e o que mais se destaca é a postura corporal do ator que é exatamente a mesma que vemos na movimentação clássica dos personagens do jogo.

Para quem não jogou nenhum dos títulos de Assassin’s Creed, pode ser que goste do filme, mas os fãs da franquia terão sim vários momentos de decepção.

Ao meu ver, lançar Assassin’s Creed no cinema foi uma tentativa da Ubisoft de espremer o bagaço para extrair as últimas gotas de lucro em cima de uma franquia que já foi épica e que acabou perdendo o brilho devido a sua exploração exagerada lançando um jogo atrás do outro em um curto intervalo de tempo, o que acabou gerando vários bugs e problemas sérios nos seus games.

Fomos ao cinema torcendo para que o filme de Assassin’s Creed fosse uma tentativa de resgatar o brilho do passado de uma das franquias de games que mais se destacou na geração passada de consoles, mas infelizmente foi só mais um filme que usou a fama de um jogo para vender ingressos.