Bear With Me – Review A3G deste game da Exordium Games

Bear With Me – Um jogo sinistro e intenso, na perspectiva de uma criança e seu ursinho de pelúcia.

Quem disse que a imaginação de uma criança é algo limitado, por não conhecer o mundo a sua volta? É justamente aí, onde as pessoas se enganam, pois a mente de uma criança, ainda não foi estragada pela dura realidade da vida, então, só as crianças têm o real poder da liberdade de pensamento.

E é nesse universo que somos introduzidos. Um jogo indie, point-and-click, com um desenho bonito, uma dublagem bem sincronizada, e uma mecânica de game-play que usa apenas o mouse.

Bear With Me

Usando a imaginação da mente de uma criança, a história vai tomando forma, com a ajuda de seu ursinho Ted (Ted E. Bear), que é inspirado em séries investigativas dos anos 50/60.

O jogo é ambientado em uma época onde as pessoas estavam se aventurando cada vez mais com a tecnologia “moderna”. A dupla principal do game, dá um ar de inseparáveis, de confiança um no outro, com ótimas sátiras e piadas, porém, vá preparando seu inglês, pois, mesmo lendo os textos sendo exibidos, e mesmo tudo sendo legendado, as vezes, algumas conversas “aleatórias”, não possuem legenda.

Gameplay:

Bear With Me

Um jogo simples, com uma mecânica de gameplay totalmente dependente do mouse, o que prejudica, para alguém que não está acostumado com essa forma de se jogar, porém, com apenas 10 minutos jogando, já fica fácil de assimilar.

Um jogo, no qual, literalmente é clicar para fazer interações, você se vê perdido várias vezes, entre escolhas feitas, ações tomadas, incluindo que, se fizer algo repetidas vezes, a personagem principal, Amber, irá o criticar por estar fazendo algo errado ou algo repetitivo desnecessariamente. O jogo se passa em capítulos e cada um deles é bem  curto, porém, se não ficar atento a história, ficará horas e horas quebrando a cabeça, tentando descobrir o que fazer.

Depois do primeiro capítulo, o jogo vai ficando mais intenso, as coisas vão ficando mais sinistras e dificuldade aumenta e no mesmo nível, também aumenta o nosso interesse na narrativa, que se torna cada vez mais profunda e intrigante. Pode parecer um jogo de criança, mas definitivamente, não é.

Bear With Me

Conclusão:

Em resumo, podemos dizer que, o primeiro capitulo da obra, é realmente empolgante, porém, quando está começando a ficar bom, o jogo acaba e tem sua continuação no próximo capitulo. Isso não deixa a experiência menos divertira/misteriosa, porém, para quem gosta de engatar no game e ir até o final definitivo, isso pode gerar uma certa ansiedade. Posso dizer que, o jogo me cativou bastante, e que ele agrada aos olhos de quem joga, se você curte esse estilo de game, vale a pena dar uma chance a ele, melhor ainda se você comprar todos os episódios de uma vez depois que forem lançados, assim não vai precisar ficar esperando os capítulos seguintes para concluir a história, que é o ponto mais forte do jogo.

Satânico Noel

Quem não se comporta, ganha presente do Satânico Noel de natal.