Flat Kingdom Paper’s Cut Edition – Análise A3G

Analisamos o game Flat Kingdom Paper’s Cut Edition, jogo desenvolvido pela Game Starter disponível no Steam.

Flat Kingdom Paper’s Cut Edition é um game de plataforma, estilo que até hoje é muito popular no mundo dos games.

Hoje em dia, são tantos tipos diferentes de jogos que cada gamer tem um estilo favorito, mas isso nem sempre foi assim. Antigamente, no início da era dos videogames, os hardwares da época criavam limitações que faziam com que os desenvolvedores só conseguissem produzir jogos em 2D, e isso era o que dava pra fazer até a era dos 16 bits.

Um ponto positivo disso é que, devido a essas limitações, as empresas que criavam games naquele tempo tinham de quebrar a cabeça para conseguir produzir um jogo que se destacasse dentro de tantos outros semelhantes.

Os jogos de plataforma dominaram a geração de 8 e 16 bits, o gênero foi explorado de várias formas diferentes e quem viveu essa época, chega a pensar que já viu de tudo quando se trata de jogos Side-scrolling.

Mas não é que ainda conseguimos encontrar jogos criativos nesse estilo, esse é o caso de Flat Kingdom.

Jogabilidade:

Flat significa, achatado, superfície plana, uma referência ao 2D, como uma folha de papel ou coisa do tipo. No universo de Flat Kingdom o que importa é a forma geométrica, o jogo faz uma logística semelhante a um Jokenpo, onde as 3 formas diferentes, circulo, quadrado e triangulo, competem entre si gerando um equilíbrio de forças.

No Jokenpo, a pedra vence a tesoura que vence o papel que por sua vez ganha da pedra, seguindo essa mesma lógica, no mundo de Flat Kingdom o círculo vence o quadrado, que vence o triangulo que vence o círculo. E o jogo segue essas regras básicas, dando a cada uma delas, interações diferentes.

Em Flat Kingdom, o seu personagem se movimenta como em um jogo de plataforma comum, da esquerda para a direita, ele pula e é capaz de assumir as 3 formas, de círculo, quadrado e triangulo.

Logo de cara, no início do game, o tutorial explica a diferença entre cada um e depois que você entende a lógica desse mundo maluco, as coisas começam a fazer sentido.

Quando Flat, nome do personagem principal, está em sua forma de circulo, ele parece uma bolinha, então ele quica e por isso ele consegue dar saltos mais altos e pulo duplo. Quando ele assume a forma triangular, o jeito que ele corre, colocando uma das pontas para frente, dá um formato aerodinâmico que proporciona maior velocidade. Já a forma quadrada, deixa ele mais durão, devagar e pesado, essa é a única forma que afunda quando ele está na água e serve para empurrar e quebrar coisas.

O lance é combinar essas 3 formas para vencer os inimigos, por exemplo, se você utiliza o pulo duplo e lá no alto assume a forma de quadrado, ele cai com maior peso e quebra o chão, se ele está correndo em alta velocidade na forma triangular e passa para a forma quadrada, ele consegue quebrar uma parede. Algumas dessas habilidades começam com você logo no início e outras mais pra frente, conforme o game avança.

Os combates também seguem as regras das formas geométricas, para vencer os inimigos com formato redondo, você deve assumir a forma de triangulo, pois as pontas os fazem estourar como balões, os inimigos triangulares são vencidos pela forma quadrada, como se amassasse as suas pontas ao esbarar no jogador e o formato redondo vence os inimigos quadrados para fechar o ciclo.

A jogabilidade leva um tempo para se acostume, mas funciona, embora em alguns momentos ela pareça um pouco travada. Isso não chega a atrapalhar, mas o que incomoda na minha opinião é que da forma quadrada anda devagar demais e isso é chato em alguns momentos onde temos um percurso longo com vários inimigos triangulares.

Os inimigos não são círculos, quadrados ou triângulos perfeitos, mas dá pra perceber com qual dessas formas eles se assemelham, uma sacada bem legal! Quem tiver dificuldade, pode manter ativo o modo de dicas que esclarece as dúvidas quanto a isso. O próprio game te pergunta em um determinado momento se você mesmo quer adivinhar ou se pretende deixar o modo de dicas ativado.

Os inimigos são criativos, especialmente os chefes, em alguns deles a gente tem de pensar rápido e trocar de forma com agilidade para conseguir vencer e em outros é preciso realizar alguma ação específica para causar dano e derrotá-lo.

Gráficos:

Faz muito tempo que não fazemos análises de jogos indie, desde os tempos dos Casual Gamer, quadro em nosso antigo canal que era apresentado pelo Gordo, o nosso youtuber, então quando recebi a key do jogo no Steam para fazer essa análise a pedido dos produtores, eu fiquei com um certo receio, especialmente com relação aos gráficos, pois se eu não gostasse do que visse, eu teria de falar.

Acontece que logo de cara, no início do jogo, eu me surpreendi com a abertura, Flat Kingdom tem uma intro muito bonita, como se fosse um Flipbook, aqueles livros em que quando a gente abre as paginas, as imagens se desdobram e saltam da página.

O visual do game é simples, nada de mais, mas os cenários são bem feitos, alguns lugares são cheios de vida com personagens NPCs divertidos e cenas acontecendo ao fundo e com o estilo em parallax, que é quando o visual é feito em camadas diferentes onde no fundo há uma imagem que se movimenta em uma velocidade diferente do plano que está na frente, criando uma ilusão 3D como em um Flipbook.

O personagem também é bonitinho, mas faltou um pouco mais de carisma e personalidade, as animações dos inimigos fazem com que se pareçam origamis, especialmente os de formato triangular. A soma de todos os elementos que vemos no game gera um visual criativo e bonito, os desenvolvedores souberam trabalhar a simplicidade dos gráficos para gerar um ambiente cativante e diferente.

História:

O enredo é bem comum, joias roubadas, princesa raptada e por aí vai… algo bem no estilo Super Mario, onde o enredo é só uma desculpa para começar a jogatina, a parte mais do contexto da trama é o fato de que em um mundo 2D, a ameça que surge a este universo são os perigos e o caos causados pelo poder da terceira dimensão, que pode colapsar este universo, uma sacada sensacional que já foi que já apareceu em um episódio da série Doctor Who, aclamada por muitos nerds no mundo todo. Este jogo é claramente feito para crianças, então, é de se esperar que o enredo seja previsível e infantil, nada de tramas mirabolantes ou coisas do tipo, ela serve para entreter este público, cumpre bem o seu papel e é divertida.

Os nomes que vemos no game fazem uma brincadeira com a palavra Flat (Achatado), tanto no personagem principal quanto em outros elementos, como nas fases por exemplo. Os nomes de alguns chefes também são bem divertidos, como no caso do Plantassauro. O jogo faz esses trocadilhos bobinhos que a criançada adora.

Som:

A trilha sonora do game merece destaque, este é um dos pontos fortes do jogo, as músicas são muito bem feitas, se misturam bem às cenas  Os sons dos inimigos e dos NPCs são divertidos. A única coisa que faltou nesse quesito foi o som de quando o jogador coleta as moedinhas. A falta de um barulhinho legal, tira a empolgação e eu até perdi a vontade de ficar pegando todas as moedas do jogo, mas é algo que pode até passar batido para a maioria das pessoas, já que a música e os outro sons se saem bem.

Conclusão:

Flat Kingdom é um jogo honesto em sua proposta, ele é simples, divertido, mas muito criativo do jeito que tem que ser. A ideia das formas geométricas é seu grande diferencial e dá originalidade ao gênero plataforma, que já foi tão explorado desde o início da história dos videogames.  O jogo possui um visual agradável e encantador, bem feito no que ele se propõe a ser. Flat Kingdom tem seus momentos e é ideal para o público infantil, os desenvolvedores souberam criar um ambientação que lembra um flipbook, o game é bonitinho e a trilha sonora tem musiquinhas bem legais e muito bem feitas. Por se tratar de um jogo baratinho, este é um presente ideal para aquele seu irmãozinho pentelho, sobrinho, filho, afilhado ou mesmo cunhadinho mala, pois a criança que ganhar esse game, vai dar sossego por um bom tempo. Apesar de ser um jogo de criança, tem muito marmanjo por aí que é fã de jogos de jogo de plataforma, se esse for o seu caso, também vale a pena dar uma chance a Flat Kingdom, pois até quem acha que já viu de tudo, pode ter uma grata surpresa.