Review A3G de Morphite – A versão de PC é lançada hoje

Morphite – Review A3G do jogo que pretende ser o que No Man Sky não conseguiu.

Morphite é um jogo indie futurista em primeira pessoa com elementos de RPG, plataforma e exploração, desenvolvido e produzido pela Crescent Moon Games, Blowfish Studios e We’re Five Games, seu será lançado em breve no dia 20 de Setembro 2017 para PC e lançado para outras plataformas em Julho deste ano.

Recebemos já faz algum tempo uma cópia do game para que fizéssemos esta análise, agora é a hora da verdade

Introdução – Um “No Man Sky” feito do jeito certo

Quem acompanhou a hype gerada por No Man Sky, o jogo que prometeu muito e acabou se mostrando um fracasso completo, sentiu uma desilusão absurda ao ver que o game não era lá grande coisa.

Sua proposta era extremamente ambiciosa, algo que requer muito cuidado e planejamento, o que definitivamente acabou não acontecendo.

Mas a sua ideia era bem interessante, ter um universo inteiro para explorar, catalogar animais, plantas e substâncias encontrados em novos planetas, com eventuais combates e situações de risco, certamente é uma fórmula que teria tudo para dar certo.

E é nessa mesma pegada que Morphite se encaixa. O jogo tem infinitas possibilidades de exploração em mundos gerados proceduralmente, ou seja, cenários fabricados de forma aleatória de acordo com o avanço do jogador.

Durante a campanha o jogador visita lugares projetados por game designers, ou seja, não são cenários procedurais, mas ao explorar a galáxia, os outros mundos que encontramos fora da linha principal, são formados proceduralmente, o que gera uma gama de infinitas possibilidades, que faz com que o jogo tenha uma quantidade enorme de conteúdo.

Esse lance de misturar o procedural com o não procedural foi uma sacada muito boa dos desenvolvedores e evita parte dos problemas de ” No Man Sky”.  Em Morphite, a campanha é bem planejada, o jogo possui 15 planetas criados de forma intencional para garantir a diversão e manter o interesse do jogador. Isso ajuda bastante, já que, em mundos formados proceduralmente, existe a grande possibilidade de bugs e problemas capazes de atrapalhar a experiência.

Encontrar estes bugs é algo que vai depender muito da sorte de cada um, tem gente que acaba descobrindo mundos interessantes com um nível equilibrado de desafio, mas por outro lado, se você for azarado, corre o risco de encontrar vários lugares que são ou difíceis demais (o que não é muito frequente) ou muito chatos e sem graça.

Campanha – Morphite! Que substância é essa?

Em um futuro distante, onde a humanidade possui tecnologia de exploração espacial, vários planetas já foram colonizados na galaxia, mas ainda há muito a se descobrir. Na pele de Myrah Kale, uma jovem mulher cuja vida de repente sofre uma reviravolta e uma simples missão de rotina se torna uma épica jornada interestelar, revelando seu passado misterioso e sua relação com uma substância chamada Morphite, que tem uma origem misteriosa a ser desvendada.

Morphite possui uma campanha que oferece uma curiosa experiência multiplayer e fora isso tem uma infinidade de mundos abertos aleatórios para se explorar livremente. A história é cativante e quem quiser ficar só nela, já vai estar satisfeito, fora isso, ainda vai ter muita coisa para se fazer.
Morphite - Jogando dentro da nave
Jogabilidade –  Caminhando, coletando e atirando

Morphite é um jogo com visão em primeira pessoa, você possui armas para se defender dos inimigos e destruir coisas no cenário, um scanner para analisar criaturas, plantas e outros objetos no cenário.

Myra, a personagem principal, irá viajar até os confins do espaço, explorar uma série de mundos e encontrar faunas e floras exóticas, alem de materiais úteis e raros. Equipada com uma espécie de scanner, Myrah busca por recursos valiosos nestes planetas, os quais pode vender em sua nave para trocar por melhorias em seus equipamentos, armas, naves e armaduras.
Essas melhorias são necessárias para se avançar no game. Existem planetas com atmosfera tóxica, altas temperaturas e condições que exigem que o jogador esteja devidamente equipado, ou morrerá em poucos segundos
Além do modo “Jogo de tiro em primeira pessoa”, também existem combates entre naves. Ao viajar entre os planetas, corremos o risco de nos depararmos aleatoriamente com uma nave inimiga ou com alguém que esteja ali para trocar itens.

Na maior parte do tempo o jogador fica andando pelo cenário com seu scanner analisando objetos, plantas e animais. Essas análises podem ser vendidas e o dinheiro usado para melhorar seus equipamentos, sua nave e reabastecê-la.

Mas nem sempre é fácil de entender quais elementos podem ser escaneados. Alguns animais no cenário não possuem interação alguma, o que é meio estranho, assim como as plantas e pedras, algumas podem ser analisadas e outras não o que faz com que o jogador perca tempo apontando seu scanner para alguma coisa, sem propósito algum.

Os inimigos também podem ser analisados, antes de derrotá-los. Nem sempre isso é algo fácil, já que eles continuam atacando enquanto fazemos isso e é fácil perder a mira do scanner e ter de começar a escanear de novo, o que pode ser meio chato às vezes, mas faz parte do desafio do jogo.

Morphite - Um visual simples e bonito
Gráficos – Polígonos, quem precisa deles?

O visual minimalista de Morphite é um de seus pontos que mais chama atenção.

A arte visual do jogo impressiona de uma maneira bem original, o game lembra os primeiros jogos em 3D, só que com um visual bem definido, feito intencionalmente para ser assim.

Isso possibilita com que o jogo rode em diversas plataformas diferentes e o trabalho artístico feito no game impressiona bastante.

Morphite usa uma paleta de cores harmônica, o jogo tem um estilo único e isso faz com que fique bonito tanto em um PS4 Pro quanto em um dispositivo mobile.

É interessante ver como que a gente esquece que o mundo e os personagens possuem poucos polígonos, rapidamente o nosso cérebro passa a ignorar isso e somos absorvidos pela atmosfera do game.

Os efeitos de partículas como neve, água e fogo são muito criativos, é fácil perceber o que é cada uma dessas coisas, mesmo que tudo seja feito com muita simplicidade, o resultado é um visual bem agradável e bem feito no que ele se propõe a ser.

Os personagens, apesar de não possuírem lábios, possuem um bom trabalho de dublagem, as vozes transmitem bem as emoções dos diálogos. Isso, aliado a uma animação bem feita, faz com que a gente ignore o fato de terem poucos polígonos.

Morphite - Olha o bicho vindo!
Desafio – Muita… muita coisa pra fazer!

Alem de ficar vagando por aí coletando e analisando coisas, o jogo tem muio mais objetivos para manter o jogador ocupado.

Além disso, com os recursos e informações coletadas, você precisa melhorar sua nave e seus equipamentos para conseguir avançar no game.

Alguns planetas possuem altas temperaturas, atmosfera tóxicas e inimigos mais fortes e requer que o jogador esteja devidamente preparado para sobreviver.

Ainda dentro da nave, o painel te avisa se um planeta possui certo risco que dificulta a sua sobrevivência. É preciso estar atento a essas informações para morrer em pouco segundos ao visitar um planeta muito quente, por exemplo.

Se o jogador for cauteloso e se preocupar em manter a personagem bem equipada, não vai ter dificuldade em terminar a campanha do game, só é preciso ir ao lugar certo na hora certa para não se frustrar.

Outra coisa que pode ajudar muito é a troca de itens entre os viajantes, algo que também pode acontecer de forma aleatória enquanto se viaja entre os mundos.

Morphite - Até nos mobiles
Compatibilidade – Tem Morphite pra todo mundo!

Por ser um jogo leve, Morphite estará disponível em tudo quanto é plataforma, no PC ele passa a estar disponível a partir do dia 20/09/2017, mas já foi lançado para em julho para Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch, IOS e Android,

Conclusão – Um bom preço pelo que ele é!

Se você curte jogos em primeira pessoa, com foco na exploração, visual diferenciado e com muito conteúdo, vale a pena dar uma chance para Morphite. O jogo tem uma campanha interessante e muito conteúdo extra. Seu visual é um dos principais diferenciais, ele tem um estilo artístico único que pode ou não agradar as pessoas, mas é mais um questão de gosto e costume do que dos gráficos em si, que são bem feitos naquilo que se propões a ser. Morphite é um jogo muito leve e com um preço justo (ainda não sabemos quanto vai custar na Steam, então clique aqui e confira, já que o jogo só vai estar disponível hoje mais tarde), na eShop do Nintendo Switch ele está custando cerca de 8 dólares, um preço bem rasoavel comparado aos jogos dessa plataforma. Morphite é um jogo indie com qualidade bem acima da média e se você gosta de games diferentes, com certeza vai curtir. A experiência deve ser melhora ainda em dispositivos móveis (mas só testamos a de PC), principalmente no Switch, já que os jogos leves consomem menos bateria do console e por se tratar de um game com tanto conteúdo, é melhor poder levá-lo com você o tempo todo para jogar quando quiser.